quinta-feira, 22 de setembro de 2016

X-Men: Apocalipse- um filme sobre o mutante Apocalipse

X-Men: Apocalipse- um filme sobre o mutante Apocalipse



Apocalipse inclui tudo o que você quer em um filme X-Men, incluindo dois dos melhores super-heróis.
Ao longo dos últimos 16 anos, Bryan Singer estabeleceu-se como o diretor de filmes de super-herói por excelência. Sim, até mais do que Christopher Nolan, Sam Raimi, e qualquer um dos comparsas de Kevin Feige, como ele tem sido capaz de combinar seriedade com temas sutis que se elevam a proeminência na saga X-Men, tudo em um divertido, ambicioso e verdadeiramente cinematográfico estilo.

X-Men ajudou a legitimar e dar o pontapé inicial no boom de histórias em quadrinhos. X-Men: Apocalipse é o pior esforço de Singer na série até à data. Mas em última análise, o filme não tem a coesão e a energia do filme “X-Men dias de um futuro esquecido”. Ele tenta conciliar muitas tramas e subtramas, incluindo a introdução de versões mais jovens de personagens que tínhamos anteriormente conheci e adorado mais de uma década atrás.

X-Men: Apocalipse ocorre principalmente em 1983, mas começa no antigo Egito, onde Oscar Isaac En Sabah Nur / Apocalipse, o primeiro mutante do mundo, parece se fundir com a tecnologia Celestial para se tornar ainda mais poderoso. Entretanto, ele foi preso por séculos em uma câmara.

Quando Apocalipse finalmente é liberado de seu sono, ele está revoltado com o mundo, adquire quatro seguidores, e se prepara para mudar as coisas. Charles Xavier (James McAvoy) tem um problema com isso, e ao lado de Raven (Jennifer Lawrence), e uma série de jovens X-Men, incluindo Cyclops (Tye Sheridan), Jean Grey (Sophie Turner), Quicksilver (Evan Peters), e Noturno (Kodi Smit-McPhee), eles se unem para detê-lo.
Michael Fassbender dá a Magneto uma postura de Shakespeare, enquanto James McAvoy nunca pareceu mais confortável como Professor X. A minha única preocupação é que, enquanto Marvel têm sido capaz de, na maior parte, construir seu universo em ordem cronológica, a decisão de X-Men voltar no tempo com o Primeira classe (X-Men First Class) significa que a franquia está se tornando complicada. Não só eles são repisando velho chão, mas eles estão empurrando o par mais interessante da série, Charles Xavier e Magneto para a margem da trama.

Mas ainda há mais do que suficiente para fazer X-Men: Apocalipse cativante, uma vez que apresenta três sequências de ação cintilantes que estão entre os melhores da franquia. A abertura no antigo Egito é imediatamente empolgante.

Ao longo do caminho, Bryan Singer controla a câmera de uma maneira suave e sedosa, enquanto inclui toques humanos detalhados para a ação. Mais uma vez, ele consegue combinar a narrativa da Marvel Cinematic Universe com o espetáculo da DC, como ele usa cores, silêncios, panelas, e uma mistura de enquadramento intimista e grandioso para criar uma textura cinematográfica que é intoxicante.

Mas, depois de dias de um futuro esquecido (X-Men Future Past), você vai ficar se sentindo um pouco desapontados com o filme X-Men Apocalipse.
Entretanto, o filme X-Men: Apocalipse ainda funciona e diverte, mas não tão enfaticamente como os antecessores.


Veja o trailer



#Compartilhar
Traduzido Por: Mais Template - Designed Seo Blogger Templates