sexta-feira, 28 de julho de 2017

Livro segredos e paixões - Prólogo

Livro segredos e paixões - Prólogo






Era uma tarde ensolarada. Quinze pessoas estavam em um cemitério. Os coveiros da funerária jogavam terra em uma sepultura naquele momento. Um homem chamado Álvaro disse para uma mulher que estava ao seu lado:
— Inês, eu estava tão preocupado com meu trabalho que
não prestei atenção em minha família. Eu deveria ter notado que Adônis, meu filho não estava bem. Se eu tivesse percebido que havia algo estranho em meu filho, essa tragédia teria sido evitada.
— Senhor Álvaro, não se culpe — disse Inês.
Álvaro soluçava e chorava enquanto os coveiros jogavam terra sobre o túmulo.
— Fui tão negligente. Como eu pude ser tão idiota. Eu sou o pior pai que existe na face da Terra — falou Álvaro.
— Ninguém pode prever o que acontecerá amanhã — disse Inês.
— Eu não conhecia meu filho tão bem. Por que ele não confiou em mim? Por que Adônis não se abriu comigo na época em que ele passou a viver em minha casa?
— Talvez Adônis temesse que você não o compreendesse — falou Inês.
— Minha vida perdeu o sentido. Eu estou com vontade de morrer — falou Álvaro.
Os fatos que culminaram naquela tragédia à qual o homem se referia ocorreram há alguns meses atrás quando Álvaro Kowalski se mudou com seus dois filhos para o condomínio céu azul. Muitos segredos sombrios que estavam ocultos há anos vieram à tona de maneira surpreendente desde então.

#Compartilhar
Traduzido Por: Mais Template - Designed Seo Blogger Templates