quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Independence Day: O filme mais estúpido sobre invasão alienígena

Independence Day: O filme mais estúpido sobre invasão alienígena









Os anos noventa foram uma época em que alguns títulos de filmes em destaque eram estranhos. Um dos mais populares e bem-sucedidos filmes foi o Independence day, que estreou em 1996. Dado tema global de invasão alienígena do filme, o título é uma demonstração de nacionalismo americano que vê dia mundial de independência de invasores alienígenas através de uma lente americana incisivamente.

Afinal, cerca de 200 países comemoram sua separação ou unificação de um estado com um dia da independência de alguma forma ou de outra. A independência da Terra de alienígenas pode coincidir com independência da América da Grã-Bretanha na visão do roteirista e diretor Roland Emmerich e seu produtor-roteirista Dean Devlin que veem os Estados Unidos como defensor da Terra.

Por volta dos anos setenta, um jovem alemão chamado Roland Emmerich participou da Universidade de Munique de Cinema e Televisão, com a intenção de se tornar um designer de produção. Ele mudou de idéia quando viu Star Wars IV: Uma Nova Esperança (1977) e decidiu tornar-se um diretor. Para sua tese final, ele escreveu e dirigiu seu primeiro longa-metragem que recebeu muitos elogios, tanto no Festival Internacional de Cinema de Berlim quanto do Visions Film Festival Sydney. Ele então passou a dirigir os seus próprios projetos, como Joey Fazendo contato (1985). Apesar do fato de que seus filmes foram sempre visto apenas nas telas na Europa, Emmerich insistiu em filmá-los em Inglês para apelar a um mercado maior.


Enquanto isso, em Hollywood, o ator Dean Devlin apareceu em uma série de programas de televisão e filmes durante os anos oitenta, incluindo Meu Guarda-Costas (1980). Em seu tempo livre, Devlin escreveu roteiros, e seu primeiro roteiro produzido foi um sucesso de bilheteria: Soldado Universal (1992). Apesar de atingir proeminência como um roteirista, Devlin continuou a tomar papéis ativos, um dos quais era dirigido por Roland Emmerich. Estes dois 'cineastas de sci-fi tornaram-se grandes amigos e, juntos, escreveram e produziram Stargate (1994), um filme comercial que gerou uma das franquias de televisão mais populares das últimas duas décadas.



Enquanto os dois estavam na Europa promovendo o lançamento de Stargate, um repórter perguntou-lhes sobre suas crenças em extraterrestres. Emmerich respondeu pedindo que o repórter imaginasse acordar em uma manhã e ver naves espaciais que pairam sobre todas as grandes cidades do mundo. Emmerich, em seguida, virou-se para Devlin e disse: "Eu acho que tenho uma idéia para o nosso próximo filme." Os dois escreveram o roteiro de Independence Day (1996) durante um período de quatro semanas de férias no México e o enviaram imediatamente para 20th Century Fox.

Depois de receber um sinal verde da 20th Century Fox para o seu roteiro, Emmerich e Devlin receberam um orçamento de US$ 75 milhões para realizar um número recorde de tiros de efeitos especiais e pirotecnia. De acordo com uma faixa de comentário no DVD para o Dia da Independência, os militares dos EUA inicialmente concordaram em fornecer veículos do exército e figurinos para a produção, mas depois se recusaram quando Emmerich não removeu referências a Área 51 e ao caso Roswell (se a Área 51 é uma conspiração inventada, por que os militares recuaram? Não há outra explicação para este comportamento.)









O filme subsequente foi fortemente criticado por seu final turbulento-estimulando patriótismo excessivamente americano. Independence day é um modelo ideal para saber como fazer um filme de sucesso. Há um número recorde de tomadas de efeitos especiais, com uma grande dependência de miniaturas em vez de imagens geradas por computador em um esforço para economizar dinheiro e para conseguir efeitos de fogo de aparência mais autênticos. O dobro de miniaturas do que havia sido já construídos para qualquer filme antes: edifícios, veículos, ruas da cidade, aeronaves e monumentos.



O filme acontece durante três dias, começando dois dias antes das celebrações do 4 de Julho. Gigantescas naves alienígenas aparecem nas grandes cidades em todo o mundo, dando prova inegável de que há de fato vida inteligente fora da Terra. Mas se são ou não são pacíficos é desconhecida. Em um ataque coordenado, cada nave desencadeia um raio de calor mortal destruindo tudo em seu caminho. Militares do mundo nada podem fazer para parar o massacre. Um grupo desorganizado de sobreviventes faz vai para a Área 51 no deserto de Nevada.











A história segue com um número de indivíduos que sobrevive ao ataque mundial inicial de uma invasão alienígena. Para efeito perturbador, os personagens são exclusivamente americanos, apesar de vários países ao redor do mundo serem alvos de discos voadores que queimam tudo em seu caminho. O que está acontecendo na America é o que importa para os cineastas. As massas de humanos em cidades dos EUA fogem e provocam acidentes de trânsito.

Alguns entusiastas posicionam-se no topo de um arranha-céus, segurando cartazes que tem dizeres como "Bem vindos!", etc.

Apenas David Levinson (Jeff Goldblum) reconhece um sinal de contagem regressiva embutida em nossos satélites.


No filme, quando o Presidente Whitmore (Bill Pullman) dá o seu discurso para um grupo desorganizado de pilotos de caça, ele anuncia: "Nós não pode ser mais consumidos por nossas diferenças mesquinhas. Nós estaremos unidos em nossos interesses comuns, o quatro de Julho deixará de ser conhecido como um feriado americano . Hoje nós [em todo o mundo] celebraremos o Dia da Independência".








Dois heróis: um piloto da força aérea, capitão Steve Hillier (Will Smith) e o jornalista David Levinson (Jeff Goldblum) encontram uma lacuna na tecnologia alienígena. O par de heróis voa em um das naves alienígenas em direção à nave-mãe que está em órbita em torno da Terra e salva a humanidade.


Embora o Independence day seja claramente inspirado no livro A Guerra dos Mundos do escritor HG Well, o filme é também uma homenagem à história do cinema de ficção científica, com muitas referências para filmes como O Dia em que a Terra Parou (1951), ET o Extraterrestre (1979), Star Wars IV: Uma Nova esperança (1977) e até 2001: Uma Odisséia no espaço (1968). Independence day faz referencia a história dos UFOs, Área 51; Roswell; autópsias de ETs; abduções alienígenas; etc. O filme quase poderia ser considerado um compêndio de cinema de ficção científica.


Independence day tem vários caracteres de trama que finalmente se reúnem. Embora Hillier e Levinson, em última análise emergem como heróis do filme, há outras personagens que desempenham algum papel importante no filme.

Há as personagens mal desenhadas como Capitão Steven Hiller cujas únicas qualidades parecem ser a sua arrogância, e os seus planos para propor casamento a sua amiga stripper (Vivica A. Fox); o pai exageradamente judaico de David (Judd Hirsch) que aparece como um centro moral; Russell Casse, ex-piloto que virou alcoólatra, morava com sua família em um Theiler e sofria zombarias por causa de  alegações de que ele era uma vítima de abdução alienígena.

Oficiais e cientistas do filme têm ainda menos personalidade. Há vários atores secundários: Robert Loggia, Margaret Colin, James Rebhorn, Adam Baldwin e Brent Spiner.


A maioria dessas personagens proferem frases como "Meu Deus" ou "Deus nos ajude" ou "Que Deus tenha piedade de nossas almas" quando vê o tamanho da nave alienígena ou situação terrível.

Uma cena cortada da versão teatral mostra Julius pedindo soldados e pessoal da Casa Branca para se juntar a ele em uma oração judaica, o que eles fazem, mas a cena foi removida para manter público-alvo do Dia da Independência: tementes a Deus americano. (NOTA: A cena foi restaurada na versão "Edição Especial") Enquanto isso, o enredo toma emprestado de Guerra dos Mundos. A parte em que David prepara um plano para enviar um "vírus" para a nave-mãe não é diferente de uma versão atualizada do clássico de Wells, onde os ETs são eliminados pelo resfriado comum. No Independence day, as naves alienígenas são blindadas por escudos e nem as marmas nucleares conseguem destruí-los. Bilhões de humanos morreram em todo o mundo, mas tudo parece acabar bem.


Apesar de ter tido grande orçamento e sucesso de público, o filme ganhou o Oscar de efeitos especiais. Emmerich e Devlin nunca perderam de vista as histórias humanas em meio ao caos. Independence day é um filme-B com um forte foco na humanidade das personagens.

Artistas de efeitos construíram modelos de monumentos famosos, todos eles nos Estados Unidos. O desenhista de produção Patrick Tatopoulos desenhou os alienígenas cujas cabeças grandes e habilidades telepáticas que permaneceram perto de conceitos estabelecidos para ETs (mais uma vez, já popularizado por Arquivo X).

Os Efeitos Visuais são avançados pelos padrões de hoje (mais notavelmente, a destruição da Casa Branca e do helicóptero e o cão que pula para evitar uma bola de fogo).

Dia da Independência teve sucesso desde o seu lançamento no verão de 1996, quando ganhou US$ 306 milhões em receitas, apesar medíocres comentários.

O sucesso de público também provocara uma insurgência de filmes-catástrofe como Godzilla, O Dia Depois de Amanhã, 2012. Muitos deles dolorosamente estúpidos. O sucesso levou uma sucessão de filmes de ficção científica que, gradualmente levaram à popularização em massa do gênero (contato, Tropas Estelares, MIB - Homens de Preto, O Quinto Elemento, e muitos outros)

. Hoje, a tendência continua com grandes filmes de sci-fi como Avatar ou No Limite do Amanhã que aparecem nos cinemas a cada mês. O filme em si tornou-se um cliché exagerado. Cenas como o discurso de Whitmore ou quando Will Smith declara: "Eu tenho que ter um desses!" são clichês grotescos.


Desde o lançamento do filme em 1996, Arquivo X (1993-2002, 2016) tem sido povoado por invasões alienígenas secretas durante anos com uma trama em curso sobre a colonização genética. Arquivo X, uma das séries mais popular da década de 1990, foi uma dose semanal de conspirações sci-fi e monstros.

Depois o lançamento desse filme de Emmerich e Devlin, Arquivo X concebeu a sua história de invasão alienígena. Emmerich tinha dirigido uma série de nível B de ficção científica na Alemanha Ocidental, e alguns filmes de Hollywood (Soldado Universal, 1992; Stargate, 1994).

Já em 2009, Roland Emmerich e Dean Devlin anunciaram que tinham concluído um roteiro para uma sequencia do Independence day, mas se recusam a fazê-lo até que Will Smith concorda em voltar a interpretar Capitão Hillier.

 Há alguns pontos fracos no filme como a parte em que os ETs com a capacidade da viagem intergaláctica e capacidade de engenharia mais avançada do que a nossa não tem uma maneira de se comunicar sem os nossos satélites humanos insignificantes. O Independence day é um pedaço de asneiras produzido em Hollywood, e ainda enfrenta a sua enorme popularidade entre o público.


Na verdade, o Independence day não é um filme inteligente. E, no entanto, as pessoas o adoram. O filme de Emmerich funciona bem o suficiente nos dias de escapismo imbecil. Há mais tolerância com filmes estúpidos de sci-fi desde 1996. Talvez seja mais significativo para sintetizar ainda mais a paixão por esses tipos de filmes. Além disso, Arquivo X própria tinha um filme perfeitamente divertido em 1998, sem dúvida, como resultado da popularidade do Independence day).
















#Compartilhar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Traduzido Por: Mais Template - Designed Seo Blogger Templates