quarta-feira, 3 de agosto de 2016

HISTÓRIAS CRUZADAS (The Help)

HISTÓRIAS CRUZADAS (The Help)






Em seu lançamento americano, Histórias cruzadas é uma adaptação extremamente agradável, marinada em mel, do romance de Kathryn Stockett.

Situado em 1960 em Jackson, Mississippi, o filme conta como Skeeter Phelan (Emma Stone), uma jovem, branca aspirante a escritor, convence duas empregadas negras, Aibileen e Minny (Viola Davis e Octavia Spencer) a trabalhar secretamente com ela em uma livro.

Skeeter quer que as empregadas para revelem, de forma anónima, as dificuldades rotineiramente infligidas a elas pelas famílias abastadas. Skeeter deseja obter assim um passo importante rumo a uma verdadeira igualdade racial e seu grande negócio de publicação do livro.

Enquanto a história se passa em um momento de convulsão social sísmica, o roteiro do diretor Tate Taylor evita política na maior parte e em vez disso se concentra em injustiças pessoais específicas - particularmente aqueles infligidos por Jackson Queen Bee, o meticulosamente penteado de Hilly Holbrook (Bryce Dallas Howard), cuja mesquinhez conivente está bem resumida em sua campanha para empregadas domésticas da cidade usar casas de banho separadas de seus empregadores.



Histórias cruzadas é forte e comovente.


O filme trata sobre as relações entre brancos e os negros do sul dos estados unidos. É uma boa ficção sobre injustiças.


As jovens mulheres brancas parecem ser mais zelosamente racistas do que até mesmo a geração de suas mães, especialmente quando elas caem sob a influência de Hilly Holbrook (Bryce Dallas Howard), um show de horror sob o batom fosco e um vestido floral. Sua consciência política se estende a campanha de segregação para as famílias brancas e seus empregados negros.

A exceção à regra é Skeeter (Emma Stone), uma intelectual cujas ambições se encontram em jornalismo e escrita. Ela decide pedir as empregadas para contar, anonimamente suas próprias histórias e sentimentos: os resultados serão enviados para uma editora.

No início, ninguém vai arriscar. Então, Aibeleen e Minny (Octavia Spencer, cheio de tanto ódio e verve cômica) se sentem animadas com a rara oportunidade de dizer a verdade, depois de tantos anos de silencio, e o projeto se torna uma possibilidade real e arriscada (como sempre, as empregadas domésticas têm mais a perder do que Skeeter).

Roteiro e direção de Tate Taylor são mais fortes, enquanto explora os paradoxos dolorosos entre empregada e empregador.



O estado aparente da empregada como um membro da família de longa data pode evaporar com uma única palavra de desprezo.


#Compartilhar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Traduzido Por: Mais Template - Designed Seo Blogger Templates